Dia a dia

Caminho para La Paz

16 de June de 2013
miniatura_16_06

Saímos do Hostel Puka Killa às 9h (horário local Boliviano) rumo a Lá Paz, no caminho nos deparamos com uma corrida maluca de pedestres. Eles estavam por todas as principais ruas, e o mais esquisito era as pessoas que desciam de taxis e entravam na corrida no meio do caminho, ou no final dele, nós não entendemos muito. Foi somente às 10:30 que conseguimos pegar a estrada para La Paz.

Paramos 2 vezes para abastecer, e em um dos postos eu e o Marcos tivemos que buscar diesel, eles só colocavam 10L (ou 40 bolivianos) no galão. Na segunda parada, mais tranquilo, o Marcos conseguiu os 20L. 

A estrada para La Paz não é das piores, mas está em construção, então existem muitos desvios para trechos de terra, o que atrasa muito mais a viagem.

Estrada para La Paz

Estrada para La Paz

Vista de Cochabamba

Vista de Cochabamba – A cidade está sob a névoa branca.

Banheiro Público

Banheiro Público na estrada. Esse nós não utilizamos, ainda.

La Cumbre

Passamos pelo povoado de La Cumbre, a quase 4.500 m acima do nível do mar.

Jogadores de Futebol dos Andes

Jogadores de Futebol dos Andes

Chegamos na cidade às 17h, e fomos em direção a Calle Comercio, rua de dois possíveis Hostel para nós ficarmos. Entramos no Hostel República e fomos buscar por informações de preços e de estacionamento para deixarmos o carro. O custo desse para um quarto duplo é de US$ 22, com banheiro compartilhado. Com relação ao estacionamento, encontramos um probleminha, não havia nenhum aberto – hoje é domingo, péssimo dia para chegar em uma cidade que você não conhece muito. Perguntamos se é perigoso deixar o carro na rua, e claro que sim, é perigoso. Ficamos bem preocupados com o TDI e em arriscar perder o nosso estepe. A recepcionista nos indicou alguns estacionamentos, mas todos estavam fechados.

Fomos ao outro hostel, que fica em frente ao República e fizemos as mesmas perguntas, e as respostas não foram diferentes. Estávamos decididos a dormir dentro do carro para não deixa-lo sozinho. Pensamos que a rua não é muito perigosa, pois no quarteirão de cima tem um tipo de quartel da Polícia, e também tem um ponto de taxi – bem movimentado – em frente aos dois hostel.

Com a ideia de dormir no carro decidida fomos até a casa de tours que fica no mesmo quarteirão para vermos alguns passeios para os próximos dias. Ali ficamos sabendo que dia 21 de junho (sexta feira) começa o ano novo Aymara, e terá uma celebração muito especial no Tiwanaku. Com a empolgação de estar lá no dia, decidimos, ali mesmo na agência, ir para Copacabana amanhã e voltar na quarta, assim conseguiríamos estar aqui na sexta.

Saímos da agência fazendo os planos para amanhã, arrumamos o carro e fomos comer no Pollo Frito Cochabamba, um fast food que fica na Calle Comercio. Bom e barato, pagamos 41 bs. em duas hamburguesas e uma coca cola.

Antes de dormir, passamos no Hostel República, avisamos dos nossos planos, fechamos 5 diárias a partir de quarta feira. E o melhor, ainda conseguimos usar o banheiro deles. Bom, amanhã antes de ir para Copacabana é só passar no hostel e pagar, cada diária saiu por US$19.50, com 10% de desconto pelo pagamento adiantado.

Entramos no carro, e com o wi-fi do Hostel conseguimos conversar via Skype ou facebook com nossos pais. O barulho dos taxis e sinos da igreja não nos atrapalhou, muito, estávamos cansados.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply