Dia a dia

Um pouco de San Pedro de Atacama

30 de June de 2013
miniatura_3006

O nosso primeiro dia aqui em San Pedro de Atacama começou bem cedo, e às 3:30 da madrugada o celular despertou! Era hora de levantar e se agasalhar bem, pois quando entramos no carro o nosso guia nos informou que estava apenas -10º lá fora! Delícia! Depois de nós o Ivan, nosso motorista, passou para pegar mais alguns turistas.

Com o carro cheio seguimos viagem rumo ao terceiro maior campo de géiser do mundo, o Geyser del Tatio [El Tatio em quechua significa “o velho que chora”] , com 3km² de extensão. Chegamos por volta das 6h da manhã, o frio era intenso e ainda ia demorar um pouco até o sol nascer e ajudar a aquecer o dia. Com coragem e impressionados com o que estávamos vendo não exitamos em descer. Eu fiquei impressionada com o tamanho de alguns géiser e de como a água fervia ao ser cuspida para fora da terra, nunca tinha visto um de perto. Nosso guia me fez lembrar das aulas de química do colegial, lá em cima, a mais ou menos 4.300m acima do nível do mar, a água ferve a 85ºC, e não a 100ºC.

Campo de Géiser

Campo de Géiser

Seguimos andando pelo campo com a Aline e o André, os irmãos paulistas que conhecemos, até o local onde tomaríamos o tão esperado café da manhã. O achocolatado foi aquecido nas águas do géiser, assim como os ovos, que foram cozidos. Tudo estava muito bom e depois seguimos de carro até as termas. O Marcos encarou a água, que não estava tão quente, e entrou na grande e aquecida piscina natural. Eu só não entrei porque esqueci a parte de cima do meu biquíni… fica para uma próxima vez 🙁

As Termais

Marcos nas termas

Ficamos uns 30 min até que todos desfrutassem o local, e começamos o caminho de volta, que é lindo. Paramos algumas vezes para contemplar e tirar algumas fotografias. A grande oportunidade que tivemos foi quando uma coreana passou mal e tivemos que parar o carro, era hora de aproveitar a neve como crianças! Foi divertido.

André, Aline, Cau e Marcos

André, Aline, Cau e Marcos

Chegamos na cidade por volta das 12:30, hora do almoço, e aproveitamos a cozinha do Hostal Puriko para preparar um arroz e atum com molho de tomate. Até pensamos em deixar o jantar pronto, mas preferi fazer à noite mesmo, mais fresquinho. O nosso segundo passeio só começaria às 15h, então aproveitamos o tempo, que passou bem rápido, para dar uma descansada.

O nosso próximo destino era a Laguna Cejar, com o mesmo guia e praticamente o mesmo grupo ficou fácil reencontrar a Aline e o André no passeio. A laguna fica ao norte no Salar de Atacama, tivemos a oportunidade de nadar na Laguna Piedra (dessa vez eu levei o biquini), e o mais incrível é que pela quantidade de sal que tem na água ninguém afunda. Logo que entrei na água, que estava extremamente gelada, lembrei do meu irmão e pensei “aqui ele vai conseguir boiar!!”. Depois do banho de sal é preciso jogar um pouco de água doce no corpo. Molhar o cabelo aqui nem pensar… rsrs

Laguna Piedra

Impossível afundar aqui. Banho nas águas geladas e salgadas da Laguna Piedra.

Depois de um banho de sal e de sol, seguimos viagem até os Ojos del Salar, são dois grandes poços de água doce formados dentro do Salar de Atacama. Essa água doce ‘brota’ de rios que estão abaixo do salar e devido a forma da erosão do solo, os lagos ficam redondos.

Olho do Salar

Olho do Salar

Antes de voltar para a cidade, paramos para apreciar o por do sol e comer um snack, que estava incluso no passeio. Já na van, seguindo sentido a cidade, nos demos conta que ainda conseguiríamos ver uma parte do jogo do Brasil e Espanha. Então combinamos de ir jantar com a Aline e o André no restaurante que fica próximo a agência de turismo e ao hostal que eles estavam hospedados.

Chegamos no intervalo do jogo, e o local já estava com alguns brasileiros que nos informaram o placar, Brasil ganhando de 2. Depois de jantar e assistir a linda vitória do Brasil, fomos para nosso hostal arrumar as coisas para o passeio de amanhã e ainda cozinhar o nosso almoço. Sim, amanhã iremos almoçar nossa comida e economizar um pouco. Mesmo que seja um macarrão morninho.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Atacama, um deserto no Chile [destino 8] | A 4 Pés 31 de August de 2013 at 13:27

    […] aqui como foi nosso passeio pelos […]

  • Leave a Reply