Dia a dia

Conhecendo melhor a Carretera Austral

9 de September de 2013
miniatura carretera austral

Nem pareceu que dormimos tão bem nos últimos dias em Bariloche, dormindo no carro essa noite e acordamos só às 11h! Acordamos com uma coisa em mente, depois do café da manhã íamos voltar para a Argentina. Já que não iríamos fazer nada aqui na deserta Futaleufu, pelo menos rodar na Argentina é melhor, pois lá o diesel é mais barato e a hospedagem também! Decidido isso, tomamos café da manhã no Hostería/Restaurante Río Grande (somente o restaurante fica aberto nessa época do ano), nada mal, um belo misto quente e uma torta de morango enorme e deliciosa.

Saímos da cidade rumo a fronteira e conversando lembramos que não estamos viajando para economizar dinheiro, estamos nessa para conhecer lugares e pessoas novas, e às vezes é preciso gastar um pouco mais, então fizemos meia volta e seguimos rumo a Ruta 7, conhecida como a Carretera Austral. Sabíamos que seria quase inteira de rípio, mas não tinha problema e só depois de 1h30 chegávamos a famosa estrada rumo ao sul do Chile.

Não tínhamos idéia do que encontraríamos no caminho e as centenas de cachoeiras que vimos jorrando das montanhas foram uma surpresa. Tem MUITA água para esses lados!!! Em quase 100% do trajeto algum rio nos acompanhou, e eles eram alimentados por muitas cachoeiras que atravessavam a estrada. Muito bonito, mas era uma pena que só chovia e o tempo não ajudava nas fotos.

Fizemos uma rápida parada em uma vila, La Junta, para abastecer e seguir adiante. Pouco mais de 40km depois chegamos a Puyuhuapi, pequeno vilarejo ao lado do Fiorde Puyuhuapi, e quando vimos um Copec logo pensamos que ali seria nossa estadia para essa noite, calibramos os pneus de depois pedimos ao frentista para ficarmos ali, ele liberou um pequeno espaço que havia atrás do posto para estacionarmos o carro e descansar.

Para jantar foi só atravessar a rua e estávamos no Café Rossbach, para uma deliciosa pizza, empanadas e uma cerveja feita na cidade, a Hopperdietzel. Aproveitei também e tomei uma cerveja chamada Lemon Stones, pouco álcool (2,5%) e muito limão pro meu gosto.

Lá o garçom foi muito gente boa conosco e nos deu várias dicas de onde ir e quais trilhas fazer. Resolvemos aceitar suas dicas e visitar um glaciar no dia seguinte, mas a idéia era ir só se não estivesse chovendo muito.

Quando olhamos o relógio já eram quase 22h e nós estávamos cansados, bora pro carro que era hora de dormir!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply