Dia a dia

Macizo Paine, finalizando o Circuito O

28 de January de 2014
circuitopaine

Neste último post sobre a trilha ao redor do Parque Nacional Torres del Paine contaremos como finalizamos o Circuito Macizo Paine, também conhecido como Circuito ‘O’. Este trecho é menos trilhado, sua beleza é distinta a daquela encontrado no caminho famoso e possui um pequeno obstáculo em nome de Paso John Gardner, onde se atinge 1.200m de altitude. Caso queira ler como foram os primeiros dias leia aqui o Circuito W. Como no post anterior, deixaremos os dados da nossa caminhada e os valores dos principais serviços ao redor do circuito ao final do post.

mapacircuitoO

Dia 5 (Refúgio Lodge Grey – Acampamento Los Perros)

Saímos tarde do Refúgio Grey, a cama havia nos segurado mais um pouco e saímos quase 10h. Tudo porque o dia seria ‘curto’, o mapa indicava 10km em 5 horas até o Campamento Paso (CONAF), o quenos assustou no começo, mas até ali havíamos sempre feito os trechos em menos tempo que o indicado.

dia5_ponte

A Cau feliz da vida!

Também sabíamos que havia um acampamento gratuito no meio do caminho caso fosse necessário, eu havia ficado nele em 2011 (Acampamento Los Guardas). Chegamos a esse acampamento em 1 hora, intenso, cheio de subidas relativamente íngremes, me assustei com o que havia sobrado do acampamento, nada! O Acampamento Los Guardas não existia mais – fomos avisados depois que devido ao aumento de queda de árvores na região o acampamento foi desativado.

Seguimos caminhando, agora um pouco mais expostos aos ventos (contra) e com mais baixadas e subidas íngremes. Mas como havíamos pensado, chegamos ao Acampamento Paso (490 m) antes do indicado pelo mapa, em 3h. Ainda eram 13h, o tempo estava bom e o guardaparque nos informou que o dia estava bom para seguir ao Acampamento Los Perros (560 m) e cruzar o Paso John Gardner (1.241m) ainda hoje.

dia5_paso

Como até ali havia sido mais tranquilo que imaginávamos e tínhamos receio de virar o tempo e fecharem o paso no dia seguinte, resolvemos não arriscar, comer algo ali, descansar um pouco e seguir. Após pouco mais de 30 minutos partimos do Acampamento Paso e que caminho íngreme! Esse era o motivo pelo qual a grande maioria das pessoas que fazem a trilha seguem o caminho contrário ao que fazíamos. Nós pensávamos que seria melhor enfrentar este trecho mais íngreme pois sempre que ficasse em um lugar descoberto, o vento seria a favor. Aconselharíamos quem mais fosse, fazer o mesmo, valeu a pena.

dia5_alosperros

O guardaparque havia dito que chegaríamos ao paso em algo entre 1h30 e 2h, dessa vez acertaram, levamos 2 horas para chegar ao topo e estávamos cansados, eu principalmente estava muito cansado e cheguei a cair de cansaço em um momento que nos obrigou a uma rápida parada para comer alguma coisa. “Descansados” voltamos ao caminho cheio de pedra e com pouco/quase nenhum abrigo para quem precisasse, a sinalização parecia pouca pois elas se misturavam com as cores das pedras mas imaginamos que em um dia nevado seja mais fácil achar o caminho.

dia5_nopaso

Céu azul enquanto atravessamos o Paso John Gardner. Ao fundo o Glaciar Grey.

O Acampamento Los Perros (VP) parecia não chegar mais, já estava nevando e segundo os cálculos do mapa ainda faltavam 2 horas. Felizmente, não muito depois, começamos a ver algumas barracas e enfim havíamos chegado ao acampamento. Como havíamos pulado a estadia no Acampamento Paso e não queríamos adiantar nenhuma estadia, resolvemos ficar duas noites neste local. A estrutura deste acampamento ainda é dos mais básicos, somente camping, não tem área para cozinhar ou mesmo uma área comum, banho somente com água gelada e também um mini mercado. Mas havia uma obra sendo realizada para a criação de uma área comum e local para as pessoas cozinharem, diziam que ficará pronto antes do fim desta temporada (2013/14).

dia5_acampamentolosperros

Mini mercado e banheiros no acampamento Los Perros

Dia 6 (Acampamento Los Perros – Refúgio Dickson)

Após ficar uma noite extra no Los Perros, saímos cedo rumo ao único refúgio nesta região do parque, o Dickson (VP). Outro benefício de fazer a trilha neste sentido é que este trecho é descida, leve porém constante. Como eu disse, aqui a beleza é diferente, as árvores são altas e neste dia tivemos bastante sol, foi um show de luzes e tons de verde. Um espetáculo!

dia6_dickson

Após cruzar um rio que flui para o Rio Los Perros tivemos uma curta, porém íngreme subida até o Mirador Valle de Los Perros, onde foi possível ver todo o caminho que havíamos feito até ali, dali em diante foi praticamente descida até o Refúgio Dickson, às vezes sendo possível ver a geleira e lago de mesmo nome ao fundo.

dia6_mirador

Chegamos lá em pouco menos de 4 horas e começaram a surgir lindos campos – ainda pequenos – de margaridas. O Refúgio Dickson é dos mais completos “deste” lado da trilha, é oferecido camping, camas, refúgio, área em comum, duchas (com água quente), almoço e jantar, e um mini mercado.

dia6_refugio

Refúgio Dickson

Dia 7 (Refúgio Dickson – Acampamento Serón)

Desde que planejamos a trilha havíamos planejado dois dias no Refúgio Dickson, pela beleza e estrutura do mesmo, como forma de descansar, recarregar as pilhas – nossas mas principalmente de todos os equipamentos que levávamos – e ainda poder aproveitar um pouco um dia tranquilo. Mas depois de ter ficado dois dias no Los Perros, ficar dois dias neste refúgio – apesar de melhor – foi cansativo e o corpo já pedia para caminhar.

dia7_caminhoseron

Então seguimos caminhando no que seria o penúltimo dia, este trecho – um dos mais longos do parque – é relativamente tranquilo e se caminha na maior parte do tempo em planície. Para nós foi melhor ainda pois nos momentos mais difíceis, as poucas subidas, tivemos o vento ao nosso favor que literalmente nos levava adiante, enquanto quem vinha no sentido contrário víamos sofrer para seguir adiante.

dia7_caminhoseron1

Levamos pouco mais de 4 horas para realizar os 19 km e ao chegar ao acampamento vimos um cenário incrível, de filme mesmo, um lindo e enorme campo de margaridas onde por diversas vezes vimos lebres e muitas aves pelo campo. Animais, algo que vimos raras vezes pela trilha, mas este último trecho valeu de mais por isso.

dia7_lebre

O Campamento Serón possui uma boa estrutura, alguns lugares para cozinhar – poucos cobertos – e banheiros novos com água quente. Também é possível pedir as refeições deles, mas dentre todos ao redor do parque esse é o que mais se deve pedir as refeições com antecedência. Em outros, principalmente no circuito W, se não chegar tarde é possível pagar pelas refeições na hora que não deve ter grandes problemas pois eles fazem muitas refeições toda noite. Só tem desconto do imposto chileno (IVA) quem pagar em dólar ou antecipado (via cartão de crédito).

Dia 8 (Campamento Serón – Refúgio Torre Norte)

dia7_seron

Acampamento Serón

Último dia, acordamos com tudo – apesar da forte chuva que caia – e mal tomamos café da manhã. Antes das 8h já estávamos trilhando o último dia de caminhada e ainda que faltava alguns bons km já não tinha como se sentir realizado. O dia começou tranquilo, atravessando campos grandes de margaridas, somente a chuva era chata, mas suportável. Também foi o dia que mais avistamos lebres, além de muitos cavalos.

Quando começamos a subir, já após mais ou menos 5km de caminho plano, sempre imaginávamos que após o seguinte morro já avistaríamos o hotel ou os refúgios. Mas isso ficou somente na imaginação, pois o que vimos primeiro e que anunciou que estávamos próximos foram estradas de terra. Pouco depois vimos os refúgios e o Tdi, aí foi só correr para o abraço, finalizamos a trilha!

dia8_nos

Ao final de 10 dias, havíamos caminhado durante 40 horas ao longo de 120 km, muito felizes e realizados, um novo projeto havia começado ali, daremos mais detalhes em breve.

Trecho Macizo Paine Início em Tempo Distância
Ref. Grey – Camp. Los Perros 21/01/14 09h45 8:11:17 15,52 km
Camp. Los Perros – Ref. Dickson 23/01/14 09h15 3:27:58 12,1 km
Ref. Dickson – Camp. Serón 25/01/14 09h30 4:38:58 18,32 km
Camp. Serón – Ref. Torre Norte 26/01/14 07h40 3:03:05 13,35 km

Neste trecho do parque há quatro áreas para dormir (Acampamento Paso, Acampamento Los Perros, Refúgio Dickson e Acampamento Serón). O Acampamento Las Guardas não existe mais, devido a seguidas quedas de árvores e por não ter a presença de guardaparques, ela foi abandonada. Alguns mapas ainda possuem ela, mas com uma busca em um mapa mais recente ela já não está mais presente. Abaixo daremos mais detalhes sobre cada um.

Acampamento Paso (CONAF) – é um acampamento gratuito, com um banheiro (podemos afirmar que é dos mais distintos banheiros que já vimos) e um refúgio onde se pode cozinhar.

Acampamento Los Perros (Vertice Patagonia) – dos campings pagos é o que possui (atualmente) a estrutura mais básica, no momento não há um refúgio para quem acampar lá (nem um telhadinho para se cozinhar), todo cozinham em frente a sua barraca, chuveiro? Só se quiser tomar um belo banho de água gelada, foi o que nós fizemos! Ainda há um mini-mercado e banheiros. Vale ressaltar que estavam construindo um refúgio para permitir que cozinhe em um lugar seguro, planejavam ficar pronto antes do final da temporada de 2013/14.
Camping = $4.000
Saco de dormir = $5.000
Barraca para dois = $7.000

Refúgio Dickson (Vertice Patagonia) – dos mais completos locais de alojamento neste trecho do parque, possui cama simples (onde você leva sua roupa de cama, saco de dormir ou aluga lá), restaurante, banheiros, chuveiros com água quente e mini-mercado.
Cama simples = $17.000
Fullboard = $24.000
Camping = $4.000
Saco de dormir = $5.000
Barraca para dois = $7.000

Acampamento Séron (Fantástico Sur) – único local habilitado para dormir no lado leste do parque (são mais de 30km entre os refúgios Torre Central e Norte e o Ref. Dickson), possui área para acampar, banheiros e chuveiros com água quente. Ainda há um restaurante onde é possível pedir café da manhã, almoço e jantar.
Camping = $4.000
Fullboard = $26.000
Saco de dormir = $4.000
Barraca para dois = $6.500

EmpresAmigaPara viver a experiência citada acima contamos com o apoio de uma EmpresAmiga, clique aqui para conhecer todas as empresas que de alguma forma nos ajudaram (alimentação, turismo e/ou hospedagem).

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply ELDE TRINIDAD HERRERA 28 de March de 2016 at 22:22

    THE CAMPING ARE OPEN ALL YEAR?TANCK’S EL CAMPING ESTA ABIERTO EL ANO TODO? GRACIAS

    • Reply Marcos Borges 29 de March de 2016 at 02:10

      Hello, the camp sites on the Macizo Paine trail, no, they don’t open all year. They close because of the weather.
      The camp sites on the W trail, are open longer, but not the whole year. The only one I remember being open all year was the Hotel Las Torres. I imagine the Hotel Grey too.

      Let us know what your plans are

    Leave a Reply