Dia a dia

Fomos ao Monumental de Núñez assistir o River Plate

9 de February de 2014
Nós com o Monumental de Núñez ao fundo

Quando planejei assistir o maior número de partidas de futebol que eu pudesse – e estando na Argentina – os primeiros dois clubes que veio a mente foram Boca Juniors e River Plate. O primeiro, por ser o maior clube do país e o segundo por ser seu maior rival. Logo fui buscar quando seriam as próximas partidas de cada um na capital portenha e descobri que só poderia assistir do River Plate.

Não assistir a uma partida do Boca não me deixou muito alegre, o clube jogaria fora de casa no único final de semana que estaríamos lá e mesmo que fosse jogar em casa seria a portões fechados. Então ao final, foi o que restou. Para quem não sabe é praticamente impossível turistas conseguirem ingressos para assistir uma partida na Argentina, não que os estádios vivam cheios, mas a venda é exclusivamente para sócio torcedores e já é conhecido a vontade que os turistas tem de assistir partidas então qualquer tentativa por parte destes normalmente é por um preço exorbitante. 

Sem pretensão, entramos em contato com a Feel Football para saber se ainda seria possível conseguir ingressos e qual era o valor dos mesmos. Um dos sócios, o Charly, veio nos conhecer no hostel que estávamos. Falamos do nosso projeto e de um plano que tínhamos de fazer um curta com algumas dessas imagens, ele comentou sobre a situação do futebol argentino no momento, como a antiga diretoria do River Plate saiu e deixou o clube sem um tostão em caixa e como o Boca tem um programa para estrangeiros assistiram um jogo do clube por módicos US$350. Um absurdo ao nosso ver, ainda mais por que, pelo que o Charly disse, eles te colocam no último andar do estádio com uma bandeirinha do clube na mão.

A experiência deles seria um pouco mais real, eles não nos levaria no meio da torcida fanática do clube – pois se diz que se abrir a boca e perceber que não é ‘local’ é capaz de você perder tudo que trouxe e ainda apanhar – mas pelo menos ficaríamos junto ao restante dos torcedores. Ele nos liberou para pagar somente os custos que ele teria e dessa forma eu e a Cau concordamos em ir ver a partida no dia seguinte.

A la cancha!

O jogo começaria somente às 22h, mas o Charly passou para nos buscar às 19h e no caminho ao estádio ainda fomos buscar outro turista, um norueguês. Chegamos ao estádio antes das 20h e iríamos ali enfrentar o maior temor do nosso guia, entrar ao estádio. Isso porque era o primeiro jogo do ano, agora com nova diretoria que prometia mundos e fundos de mudanças em como os torcedores entrariam e maior controle. Cada um possui o cartão do sócio, o ingresso e uma espécie de comprovante de compra, todos em algum momento foram pedidos, mostrados (sem permitir ver muito detalhe – já que eu parecia ter emagrecido uns 50kg comparado a foto) e liberados. Finalmente dentro do estádio, faltava só chegar aos assentos.

Os assentos são marcados e de um modo geral respeitados, mas se chega e tem alguém no seu assento, você simplesmente busca um mais próximo para sentar, sem maiores problemas. Ainda faltava ao redor de 1 hora até o início da partida e o estádio enchia devagar, mas sem parecer que lotaria o Monumental de Núñez, o que de fato não ocorreu. Deu horário, times (River Plate e Gimnasia de la Plata) em campo e após uma homenagem aos bombeiros mortos dias antes, foi dado o início a partida.

Do jogo pouco tenho a falar, simplesmente, foi fraco! O time da capital até possui alguns bons jogadores, como o ex-fluminense Lanzini, mas jogaram mal e em um lance de sorte a bola entrou, 1 a 0 que foi até o final.

Já a torcida, o nosso guia – como torcedor do Boca – havia dito que eles chamam o Monumental da maior geladeira da Argentina, devido a frieza de sua torcida. Era meio uma piada, mas tinha sua verdade. Ela realmente só empolgava junto com as boas jogadas do time, mas tudo bem, a experiência foi incrível e valeu muito a pena.

Ao final do jogo rumamos para fora do estádio e para fechar a experiência futebolística passamos numa barraquinha de rua para comprar um pão com um hambúrguer super fino.

Com a fome saciada – inclusive a futebolística – o Charly nos levou de volta ao hostel e chegou ao fim a noite. Ótima experiência e o guia foi sem dúvida de grande ajuda, além do fato de que não teríamos conseguido ingressos, ele conhece bastante de futebol e todas as perguntas que eu fazia eram prontamente respondidas.

EmpresAmigaPara viver a experiência citada acima contamos com o apoio de uma EmpresAmiga, clique aqui para conhecer todas as empresas que de alguma forma nos ajudaram (alimentação, turismo e/ou hospedagem).

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Leandro 31 de July de 2014 at 16:13

    Olá Marcos!

    Primeiro parabéns pelo post.

    Pretendo ir ao jogo do river em Agosto deste ano, é de confiança esta empresa Feel Football?

    Desde já agradeço!

    Abs

    Leandro

    • Reply Marcos 31 de July de 2014 at 18:15

      Olá Leandro,

      A empresa é de confiança sim, mas como indiquei no texto, você entra como um sócio-torcedor e para tanto há um risco nisso que independe da empresa que você faça o passeio. O negócio aí é que eles tem muitos conhecidos e em pelo menos uma ocasião ele evitou que fossemos abordados (onde talvez teríamos problema). Uma vez no assento o resto foi tranquilo.

      Agora se tiver como escolher, por indicação do guia inclusive, tentaria assistir um jogo do Boca Juniors. Os donos da empresa que realizam o passeio não tem nenhum torcedor do river entre eles, fazem por obrigação. Assistir do Boca (de quem o Charly é torcedor) ou do – acho – Gimnasia (do outro sócio) seria melhor, mas pela experiência de assistir com um local e torcedor fanático.

      Espero ter sido de auxílio. Se for com eles, avisa que leu sobre eles no nosso blog.

      Abraço e boa viagem!
      Marcos

  • Reply Leandro 31 de July de 2014 at 23:20

    Entrei em contato com a empresa, falei por email com o Charly, me atendeu prontamente. Ele disse que cobra 120 dólares e o setor onde ficaremos é na platea baja.
    Só não vou fechar uma partida do boca juniors, porque em 2011 tive a sorte de poder ver em la bombonera o superclassico boca vs river, sensação única.
    Portanto, dessa vez queria ver um jogo no monumental!!!
    Novamente agradeço pela dica!!

    Grande abraço

    Leandro

    • Reply Marcos 1 de August de 2014 at 09:56

      Deve ter sido espetacular esse jogo!

      Mais uma dica então, pergunte o valor em pesos argentinos e leve dólar para Buenos Aires e trocar o dólar lá. Apesar das conversões se imaginaria que perderia valor, mas devido as condições econômicas do país a troca de dólar no mercado paralelo está basicamente escancarado nas ruas (principalmente a calle florida, no centro). Esses U$120 podem virar U$80 ou menos (dependendo da cotação). Claro, deve se tomar cuidado onde se troca.

      Mas o risco valia a pena (pelo menos no início deste ano) quando o dólar oficial era negociado a 6 pesos e o chamado dólar blue estava na casa dos 12 pesos.

    Leave a Reply