Dia a dia

Cabo Polônio, uma vila alternativa

19 de February de 2014
cabopolonio

Quando ouvimos falar nesta pequena vila e das formas de como chegar nela, logo ficamos encantados. São duas formas principais: caminhando – pelas dunas ou a beira mar – vindo de Valizas ou em caminhões adaptados para o transporte de pessoas até a costa. A primeira vista, e de longe, a vila não mostra muito de seu charme, mas logo que o veículo para na praça central, ela aparece.

Vista Cabo Polônio

Vista Cabo Polônio

Chão batido, vila de pescadores, hósteis com as paredes com bonitos grafites, artesãos expondo suas obras ao ar livre, a praia logo ali, dunas ao redor e o farol onipresente na paisagem somados dão a Cabo Polônio um charme inigualável.

Vila Cabo Polonio

Vila Cabo Polonio

Chegamos a vila vindo de caminhão, acesso pela Ruta 10 (altura do km 264), que pegamos na entrada do Parque Nacional do Cabo Polônio. Os passeios saem do Puerta de Polonio a partir das 10h30 diariamente e há outros 3 horários até às 20h. Na alta temporada (verão) os caminhões partem mais cedo, às 7h, e a partir das 8h30 há saídas de hora em hora até às 20h30 e dependendo da demanda às 22h30 também.

Chegando de caminhão a Cabo Polônio

Chegando de caminhão a Cabo Polônio

Além de um estacionamento (primeira hora é gratuito/$170 por 24 horas) e um mini terminal, tem um lindo centro de interpretação onde se pode conhecer muito mais sobre o parque, a vila, suas belezas e sua poesia.

Centro de informações

Centro de interpretação

Partimos às 10h30 no alto de um caminhão, felizes da vida. Sai $170 pesos por pessoa (ida e volta) e $100 para crianças entre 5 e 8 anos. Esperávamos que o caminhão fosse enfrentar dunas e mais dunas, mas descobrimos que as dunas – devido aos ventos constantes – se moviam muito e chegavam onde hoje é a entrada do parque e então iniciaram uma grande plantação de árvores e hoje a paisagem ficou assim.

Areia e árvores marcam a trilha do caminhão

Areia e árvores marcam a trilha do caminhão

Chegando na vila fomos dar uma volta até o Farol Cabo Polonio, um lindo farol, diferente dos outros pois foge do branco tradicional. Para quem quiser subir, como em todos os faróis no Uruguai, 20 pesos uruguaios – algo como R$2,50.

Farol de Cabo Polonio

Farol de Cabo Polonio

Antes do almoço, fomos visitar as dunas que cercam a vila e são a porta – ou montanha – de entrada para quem vem a pé da cidade de Valizas. São 8km para quem vem em linha reta entre as vilas ou 12km para quem vem pela bela costa. Outro destaque de quem visita a região são as piscinas naturais e a vista de toda a costa, Cabo Polonio e o Farol.

Costa Cabo Polônio

Costa Cabo Polônio

Voltamos ao centro para almoçar e comemos um prato tradicional dos uruguaia, o Chivito al plato. Comparado com o que já comemos na viagem, parece um Lomo a lo pobre dos chilenos, com a adição de bacon, o que muda tudo! Ainda tivemos shows ao céu aberto de 4 meninas na percussão, voz e dança afro (uma mistura de candombe e samba) e de um mímico.

Ficamos o restante da tarde curtindo o visual, a praia, mas não entramos no mar pela quantidade de água viva que vimos na praia e com pouca gente no mar, preferimos não arriscar. Esperamos até o caminhão das 16h30 para voltar ao portal. Infelizmente não pudemos ficar na vila devido a falta de lugar, em conta, para ficar. Os lugares que haviam onde ficar começavam em $800 pesos por pessoa.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply