Dia a dia

Um passeio por Inhotim, mas não sem um susto

12 de August de 2014
Marcos e Cau refletidos em uma esfera do Narcissus Garden, em Inhotim (MG/Brasil)

Mais um dia começando cedo, dessa vez tiramos o Tdi da garagem – que o Kiko e a Tássia gentilmente haviam cedido a nós sua vaga – e fomos em direção a cidade de Brumadinho e Inhotim. Mas um susto um pouco antes de chegarmos ao estacionamento quase impediu o passeio do dia. Em nossa passagem por Osasco nós montamos um novo console central de forma que conseguimos colocar abaixo do console o inversor, isso nos permitiu acesso a ele enquanto dirigimos, facilitando muito a hora que precisamos carregar nossos equipamentos.

O problema foi que não havíamos fixado o inversor em sua base e com a trepidação do caminho ele havia “caminhado” para trás e a fita isolante – que evitaria um eventual contato entre os pólos e qualquer metal – se desgastou, os pólos tocaram o metal e começou a sair uma fumaça e cheiro de queimado. Não teve jeito, o caminho para Ushuaia voltou a nos assombrar e achávamos que de novo estava pegando fogo na bateria. Dessa vez não tinha sido isso, desligamos o inversor e ajeitamos para ele não raspar mais, ainda colocamos um pano para evitar qualquer contato. Apesar de não ser aconselhável colocar um pano em algo que poderia soltar faísca, o pano já evitaria qualquer contato que geraria uma faísca.

Situação contornada, seguimos até o estacionamento e a entrada do Inhotim, deixamos o carro – é gratuito o estacionamento – e seguimos um pequeno caminho até a recepção. A boa é que de terça-feira a entrada é gratuita e a grande dica é contrate os carros elétricos – parecido com carrinho de golfe – para auxiliar nos maiores deslocamentos, o custo é o mesmo da entrada R$20 por pessoa, então indo de terça já economiza de um lado.

Podem pensar, nossa mas esses dois são cheio de fazer trilhas e contratam um carrinho para fazer um passeiozinho de nada? SIM! contratamos e contrataríamos de novo. Os carrinhos cobrem algo como 4km e o parque tem outros 8km (pelo menos) por onde caminhará, mas o principal é que algumas obras/intervenções pedem um pouco de fôlego. Seja Piscina de Jorge Macchi (isso mesmo, levem biquini/sungas) ou a Galeria Cosmococa que também possui uma piscina e outras intervenções onde simplesmente dá vontade de pular, rolar e dar cambalhotas na espuma, há lugares que pedem sua participação e ter descansado um pouco em cima desses carrinhos podem fazer toda a diferença. Lembre-se, não é só o fato de não caminhar e consequentemente cansar mais, você também vai descansar em cima dos carrinhos. De uma forma em geral, lhe ajuda a curtir tudo que Inhotim tem a oferecer.

O mapa de Inhotim é dividido em três eixos – rosa, amarelo e laranjar – e é possível passear por obras (esculturas ao redor do parque), destaques botânicos e galerias. Ao todo são quase 60 itens listados no mapa para se visitar.

Galeria Doug Aitken com a obra Sonic Pavilion

Galeria Doug Aitken (G10) com a obra Sonic Pavilion

Iniciamos a caminhada pelo eixo rosa, logo a primeira galeria – Doris Salcedo (G8) – estava fechada, andamos um pouco mais e pegamos o primeiro carrinho elétrico até a Galeria Doug Aitken (G10) e o Sonic Pavilion. Foi desenvolvido especialmente para Inhotim e consiste em instalar diversos microfones ao longo de um buraco com profundidade de 200m e transmitir o som feito pela terra em uma sala redonda. Nem se imagina que o som vem em “ondas” com períodos de silêncio e de altos estrondos. Antes de pegar o carrinho passamos pela obra de Matthew Barney (G12), De Lama Lâmina e após descer do carrinho elétrico, a Galeria Miguel Rio Branco (G16).

Matthew Barney (G10)

Matthew Barney (G10), de Lama Lâmina

Trocamos de eixo por um período rápido, fomos a amarela e passamos rapidamente pelas galerias Mata (G1) e True Rouge (G2) antes de almoçar no Restaurante Oiticica. O preço do kilo do restaurante é alto (algo como R$55/kg) e apesar dos avisos de não haver área de piquenique, há diversas mesas onde é possível trazer sua própria comida, sem precisar pagar os valores exorbitantes praticados lá dentro. Mas a comida é boa e tem grande variedade.

Saímos do restaurante rapidamente pois de terça o parque fica aberto apenas até as 16h30. Fomos para o eixo laranja e passamos primeiramente pela Galpão Cardiff & Miller (G11) e que espetacular! Dentro da galeria são dezenas, para não dizer centenas, de caixas de som espalhados pela grande galeria. A intenção são as pessoas presentes ficarem de olhos fechados e só escutarem o desenrolar da obra, o resultado é arrepiante. Momentos que não é possível perceber a distinção entre a realidade – poxa, estamos em uma sala grande com caixas de som – e o irreal, tem uma mulher falando e há cachorros latindo, derrepente um trem está vindo em nossa direção e se aproxima rápido. Só faltou sentir o vento quando o trem passou!

Passamos pelo viveiro – onde fica exposta a flor cadáver quando ela floresce – e voltamos aos carrinhos elétrico para visitar as obras de Jorge Macchi (A15) e Marilá Dardot (G17) com seus vasos em forma de letras.

Vasos de Marilá Dardot formando A 4 Pés com a Cau fazendo o número 4, Inhotim (MG/Brasil)

Brincando com os vasos de Marilá Dardot, Inhotim (MG/Brasil)

Marcos e Cau escrito com os vasos de Marilá Dardot, Inhotim (MG/Brasil)

Mais uma brincadeira com os vasos de Marilá Dardot, Inhotim (MG/Brasil)

No último trecho, pegamos carona com o carrinho elétrico e chegamos a Galeria Cosmococa (G15). Para se ter uma idéia, estávamos mortos de cansaço, o tanque já estava na reserva. Para entrar na galeria pedem para tirar o sapato pois ela possui intervenções como piscina, redes e nosso favorito de todo Inhotim, uma sala com piso de espuma grossa. Deu a louca na Cau e ela saiu correndo ao redor da sala e eu fui atrás e começou uma sessão de cambalhotas, estrelas e saltos – onde todos os presentes começaram a fazer o mesmo. Gastamos a reserva toda de energia, mas saímos de lá com o sorriso de orelha a orelha e felizes. Adoramos Inhotim!

No caminho do final do passeio, ainda sobrou um restinho de energia para curtir um trecho de uma ópera onde cada voz foi gravado separadamente e é reproduzido cada voz em uma caixa de som, na Galeria Praça (G3) e em um dos ícones de Inhotim, o Narcissus Garden de Yayoi Kusama (A17).

Uma das fachadas da Galeria Praça, com casais dançando e um ônibus azul cheio de gente, Inhotim (MG/Brasil)

Uma das fachadas da Galeria Praça, Inhotim (MG/Brasil)

Esferas metálicas dentro de um pequeno lago no Narcissus Garden de Yayoi Kasuma

Um dos pontos mais conhecidos do parque. Narcissus Garden de Yayoi Kasuma, Inhotim (MG/Brasil)

Um close nas esferas do Narcissus Garden de Yayoi Kasuma, Inhotim (MG/Brasil)

Deu para entender o porque dos Narcissus no nome da obra, Narcissus Garden de Yayoi Kasuma, Inhotim (MG/Brasil)

Arte não é muito nossa coisa, se não há ninguém (ou algo) nos explicando a intenção do artista, nós não conseguimos entender. Mesmo com a explicação às vezes é difícil a compreensão. Mas Inhotim é algo incrível, brinca com todos os sentidos e indo de coração aberto não é possível não se surpreender e se maravilhar com o que o parque tem a oferecer.

Nossos preferidos e sem dúvida os imperdíveis, sem dúvida, foram – do eixo rosa – o Sonic Pavilion de Doug Aitken (G10) e Narcissus Garden de Yuyoi Kusama; do eixo amarelo, a Galeria Praça; e do eixo laranja, o Galpão Cardiff & Miller (G11), Marilá Dardot (G17) e a Galeria Cosmococa (G15).

Serviço

Aberto de terça a sexta das 9h30 às 16h30 – com alimentação e transporte até as 16h – e de sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h30 – com alimentação e transporte até as 17h. Entrada R$20 por pessoa (de quarta a sexta); sábados, domingo e feriados a entrada é R$30. R$20 o custo por pessoa do carrinho elétrico.

Crianças até 5 anos não pagam o carrinho nem a entrada. Meia entrada para crianças de 6 a 12 anos, idosos acima de 60 anos, estudantes identificados, funcionários da Vale, assinantes credenciados dos jornais Estado de Minas, Hoje em Dia ou O Tempo, e moradores de Brumadinho participantes do programa Nosso Inhotim. É possível pagar com cartões American Express, Elo, Mastercard, Visa e Vale Cultura ALELO.

Mais detalhes, no mapa abaixo, ou entre no site de Inhotim.

Mapa de Inhotim

Mapa de inhotim, clique para vê-lo completo

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Eloah Cristina 29 de September de 2014 at 12:31

    Queremos muito conhecer Inhotim!
    Adorei o post e as dicas… Parabéns!

  • Reply Kiko 22 de October de 2014 at 11:01

    Inhotim é sensacional, mas Ibirité… ahhh Ibirité! Merece um post a parte! =D

    • Reply Marcos 24 de October de 2014 at 22:08

      Ahhhh Ibirité!!! Saudade de Ibirité e de vocês também!

    Leave a Reply