Dia a dia

Passando rápido por Itacaré – BA

10 de October de 2014
itacare-bahia

Saímos de Canavierias, da Praia da Costa era por volta das 9h da manhã. Dormimos de frente para o mar, dentro do Tdi, mas confesso que dessa vez não foi uma noite bem dormida. Devido a lua cheia, que nasceu linda, o movimento na praia aumentou, não durou a noite toda, mas foi agitada e isso às vezes nos deixa um pouco com o pé atrás, nos sentimos um pouco inseguros quando há muito movimento. Mas deu para descansar e acordamos às 5:30 da manhã, sozinho e sem despertador, quer dizer o sol nascendo foi um despertador e tanto.

Praia da Costa - Canavieiras/Ba

Praia da Costa – Canavieiras/Ba

Saímos do carro, caminhamos um pouco e voltamos para tomar nosso café da manhã, a praia estava linda e algumas pessoas faziam caminhadas. Sentamos em nossas cadeiras na sombra do Tdi, aliás uma das poucas sombras que encontramos por aqui foi essa, e começamos a comer. Ficamos ali enquanto a sombra durou. Arrumamos o carro e partimos, agora rumo a Itacaré.

estrada-canavieiras

A beira mar

As estradas por aqui não são as melhores do Brasil, mas dá para andar bem, desde que com atenção para algum eventual buraco. Mas a paisagem é linda demais, tem horas que você viaja com a praia ao seu lado e horas que a mata domina, como se daqui uns anos o esfalfo fosse ser engolido pela selva verde que cresce. Depois de pouco mais de 2h de estrada, chegamos a Itacaré. Hoje pensamos em dormir em um camping, vimos no site iOverlander que tem um de frente para o mar. Não deve ter lugar feio em frente ao mar. 😀

litoral-baiano

Ah, o litoral baiano!! 🙂

Estacionamos o carro próximo ao camping, que realmente tinha uma vista privilegiada e fomos chamar. Infelizmente não havia ninguém, perguntamos ao salva-vidas e ele não sabia nos dizer se havia alguém ali hoje. Fomos dar uma olhada na praia que fica ao lado, caminhando, e aproveitamos para tomar um banho de mar. Na volta fomos fazer o almoço, estávamos famintos, e nada do cara do camping.

Relaxando após almoço....

Relaxando após almoço….

... com esta vista!

… com esta vista!

Depois de umas 3h ali, mais descansando e aproveitando o visual, do que realmente esperando, vimos um cara no estacionamento. Fui lá perguntar a respeito do camping, o responsável pela hospedagem (que tem as chaves) tinha acabado do ir embora, não voltaria e não tinha como ligar para ele! Que zica! Ele estava trabalhando e não ouviu quando chamamos por ele. Até pensamos em armar a barraca ali mesmo, na areia em frente ao camping, mas o lugar estava enchendo novamente e não seria um noite tranquila. Sem falar que eu acho que não poderia acampar onde queríamos. Mas a tarde foi realmente agradável, então decidimos sair dali e buscar um hostel, pousada, já estava entardecendo e não há postos por esse estrada e nem vimos lugares tranquilos para parar o carro, então o jeito será dormir na cidade.

Acessemos rapidamente o Booking.com para buscar pelo hostel mais barato e encontramos o Casarão Verde. Bom, foi nesse mesmo que ficamos. A rua parece tranquila para o Tdi e o preço bem justo (R$22,00 por pessoa sem café da manhã), ainda mais que a pousada ao lado aqui cobra R$115, fora do nosso orçamento. Ficamos em um quarto compartilhado (12 pessoas) que na verdade não tinha ninguém, camas boas, o wifi é ótimo (só não pega nos quartos), linda vista e uma boa estrutura para os hospedes. Sem falar que não fica longe do centro histórico, onde você encontrará restaurantes e comércio local.

Depois de um bom banho esticamos as pernas nas camas e descansamos antes de sair para jantar. Hoje iremos comer fora, ainda não provamos nenhum prato típico da Bahia. Caminhamos bastante, pois estávamos buscando um restaurante específico e aproveitamos para provar um autêntico Acarajé – bom, nunca havia comido, então fico na esperança de ter sido realmente um autêntico. Encontramos o restaurante, mas não gostamos do que vimos, sei lá intuição, o lugar era bem afastado dos demais, estava vazio e em um local estranho, achamos melhor voltar e escolher entre as muitas opções que vimos no caminho.

Paramos para comer no Rio das Contas, uma atendente simpática nos recebeu e nos atendeu muito bem. Para comer pedimos uma Muqueca de peixe com camarão, acompanhada de arroz, farofa, pirão e uma pimentinha arretada para dar gosto. Para beber dois sucos, um de cacau e um de graviola. Os sucos foram deliciosos, mas um pouco diferente do que imaginava. A comida chegou e nos esbaldamos, estava tudo uma delícia até sobrou para levar – almoço de amanhã garantido. Na hora de levar a comida embora em imprevisto, não havia as chamadas “quentinhas” (recipiente onde coloca a comida para levar embora) então a mulher simplesmente deu a vasilha dela para nós, com a total certeza e tranquilidade que ela buscaria em nosso hostel ou nos levaríamos para ela. Confiança não é? Nunca vi isso em São Paulo, muito menos no interior de Osasco…. hehehe Mas amanhã devolvemos, claro!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply