Dia a dia

Região das Grutas | Chapada Diamantina

16 de October de 2014
capa-grutas

Nada como tomar o café da manhã em um hostel, não estou reclamando do nosso leite em pó e granola diário, mas é diferente. O que está difícil é acordar tarde, é engraçado com dá 5:30am eu abro os olhos e durmo no máximo até às 7h. Quando dorminos nos postos é assim também, mesmo porque por volta desse horário é quando os caminhões ligam os motores e ai fica difícil voltar a dormir. O sol também já apareceu, o carro começa a aquecer. Sem muita preguiça no hora de acordar… só no inverno!

Saímos do hostel era 9h e nosso destino era o município de Iraquara, a região famosa por conta das grutas da Chapada Diamantina, e visitamos dois pontos a Lapa Doce/Gruta Azul e a Pratinha.

Mapa Chapada – Grutas (Fonte: Guia Chapada Diamantina)

Mapa Chapada – Grutas (Fonte: Guia Chapada Diamantina)

Gruta Lapa Doce

Fomos primeiro na Gruta Lapa Doce, uma gruta onde não é possível se sentir sufocado, pelo contrário há grandes e amplos salões, que percorremos em menos de 1km. Pagamos uma taxa de R$ 20,00 cada um para entrar e ter um guia, junto foi mais um casal e seu guia particular (eram alemães e ele ia traduzindo as informações).

Placa na entrada - Bem vindo a Gruta da Lapa Doce

Placa na entrada – Bem vindo a Gruta da Lapa Doce

Começo da trilha que leva a entrada da Gruta Lapa Doce

Começo da trilha que leva a entrada da Gruta Lapa Doce

O passeio foi incrível e durou pouco mais de 1h. Andamos por alguns metros ainda iluminados pela luz natural da entrada principal, mas depois era somente a luz das lanternas e ao apagá-las era um verdadeiro breu. Não dava para saber se estavámos de olhos abertos ou fechados. Um silêncio profundo onde conseguíamos ouvir as poucas gotas de água que caem e formam as estalactites e estalagmites. Essa foi a melhor parte do passeio, ficar realmente em um silêncio profundo, onde até o barulho da respiração tranquila era alto.

Formações Gruta da Lapa Doce

Formações Gruta da Lapa Doce

Formações Gruta da Lapa Doce

Formações Gruta da Lapa Doce

Formações Gruta da Lapa Doce

Formações Gruta da Lapa Doce

Continuamos a caminhada e chegamos até a próxima outra abertura, por onde saímos. Alguns morcegos reclamaram das luzes das nossas lanternas, mas foi rápido. Subindo as escadas o guia nos parou para mostrar uma pequena aranha marrom, muito venenosa, mas que não ataca ninguém. Ela vive ali e se alimenta das fezes dos morcegos. Depois cruzamos por mais duas, e deixamos elas quietinhas e seguimos nosso caminho em direção ao estacionamento.

Gruta do Rio Pratinha

Era 11:15 quando seguimos para Gruta da Pratinha e Gruta Azul, não rodamos muito e chegamos. O lugar já estava bem movimentado e grandes grupos chegando. Nós já sabíamos o que queríamos fazer: Flutuação na Pratina. Pagamos R$ 20,00 de entrada que nós dá direito de entrar na Gruta Azul e conhecer a Gruta da Pratinha por fora e o banho de rio. Para fazer flutuação, tirolesa e fotos sub-aquáticas é preciso pagar separado.

Descemos para o ponto da flutuação e esperamos o grupo da escola ir primeiro, eram 16 jovens fervorosos e nós preferimos o sossego! hehehe Ficamos ali uns 20 min esperando a nossa vez, um dos guias sentou do nosso lado e logo nos ajudou com os equipamentos.

Equipados caímos na água e esperamos o nosso guia para começar o passeio.

O percurso de 340m de ida e volta é feito rapidamente, na ida fui me habituando com a escuridão e apenas o foco da lanterna de luz. O Marcos, bem mais tranquilo que eu parecia um peixinho. Chegamos ao fim da gruta, um salão com 14m de profundidade de onde podemos ver o caminho que os mergulhadores passam para sair na Gruta Azul, algo que já me faz perder o fôlego.

A volta é a melhor parte e realmente surpreendente. A luz iluminando a água azul e os peixinhos, muitos peixes. Eu me sentia dentro de um aquário, os peixes pareciam não se assustar com a nossa presença e ficavam paradinhos. Aproveitamos o quanto pudemos antes de sair da água e devolver os equipamentos.

Muitos peixinhos

Muitos peixinhos

Saímos famintos e decidimos almoçar antes de conhecer o Rio Pratinha, de águas claras e transparente.

Rio Pratinha visto de cima

Rio Pratinha visto de cima

Outra vista do Rio antes de dar um bom mergulho

Outra vista do Rio antes de dar um bom mergulho

Não demoramos muito no rio, foi o tempo de dar um mergulho, fazer alguns registros e ir conhecer a Gruta Azul, que fica a 250m da recepção.

Gruta Azul

Aqui não se pode nadar, apenas é saída/entrada dos mergulhadores. E de acordo com os guias só é possível mergulhar aqui para pesquisa ou com a autorização o Ibama. A água azul recebia após as 14h a iluminação do sol, que tornava a água mais clara e transparente ainda. Realmente um lugar lindo. Fizemos algumas fotos e saímos, ainda hoje pegaremos a estrada sentido Juazeiro, vamos sair da Bahia.

Gruta Azul

Gruta Azul

Era umas 15h quando pegamos a estrada e decidimos que só iríamos parar em um posto razoavelmente grande e 24h. Isso porque é mais seguro dormir onde os caminhoneiros dormem, não dá para ficar em postos pequenos e que fecham durante a noite, não achamos seguro.

Esse posto grande só foi chegar por volta das 19h, estava uma noite fresca e boa para dirigir – palavras do Marcos – e assim fomos. Quando chegamos fomos logo jantar, hoje não cozinhamos, o Marcos foi de buffet e eu fui comer um pão com manteiga e café com leite. Arrumamos a cama e bora para o banho frio, que estava delicioso.

Espero que a noite aqui seja tranquila, os dias da Chapada Diamantina foram bem cansativos e aproveitados, amanhã é dia de pegar estrada e nos programamos para chegar sábado no Piauí.

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply