Dia a dia

Nossa passagem por Vitória/ES

9 de September de 2014
capa-vitoria

Tendo passado 60 dias planejando e viajando pela Estrada Real, não nos permitiu planejar o que veríamos em terras capixabas. Além mais de 1.000km da Estrada Real, também tínhamos acabado de subir o Pico da Bandeira, antigo sonho dos dois. Chegamos em Vitória, na casa de um casal que havíamos conhecido poucas semanas antes em Passagem de Mariana, na Pousada da Passagem. Eles gentilmente nos convidaram a passar uns dias lá, e aceitamos.

Fomos super bem recebidos por lá. Passamos três ótimas noites de descanso com eles, conversamos muito com o filho mais novo do casal. Nesse meio tempo eu trabalhei um pouco.

Outro casal que nós conhecemos, esse mais louco ainda, foi pela internet, o casal Rubens e Manuela. O Rubens trabalha em uma empresa de vidros automotivos em Vila Velha e nos auxiliou a achar um lugar que tinha o pára brisa da Defender em Belo Horizonte, depois dele ter trincado um pouco antes de chegarmos em Ouro Preto. Ele também havia nos convidado a passar uns dias com eles em nossa passagem pela capital e na sexta feira fomos para lá. Sabe quando as coisas simplesmente encaixam, clique! Passamos a madrugada conversando sobre planos de ambos os casais. Neste dia também conhecemos um casal de amigos deles, o Marquinhos e a Neuza, que também amam viajar e já viajaram bastante os 4.

No domingo fomos para a casa do Marquinhos e da Neuza, fomos aproveitar o grande espaço deles para fazer o rodízio dos nossos pneus e trocar as pastilhas de freio traseiro, pelas originais que havíamos comprado na Bearmach de Belo Horizonte, semanas antes.

Marcos analisando as pastilhas novas

Marcos analisando as pastilhas novas

O plano inicial era passar apenas o final de semana, mas como disse, o santo bateu e eles nos convidaram a ficar mais uns dias, aceitamos! A Cau aprendeu com a Manuela a fazer garrafas enroladas com barbante e depois colar guardanapos para decompage. Muito lindos! Já a Cau a ensinou a fazer filtros do sonho.

Cau, Marcos, Binho e Manuela

Cau, Marcos, Binho e Manuela

Nossa viagem muitas vezes é assim. Sem belezas naturais e nem turistar por aí. Gostamos muito de fazer isso, claro preferiríamos fazer os dois, sempre. Mas às vezes não é possível e nós não ligamos tanto. Afinal conhecer pessoas e trocar histórias é uma das melhores formas de crescer como ser humano.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply