Dia a dia

A Felicidade da partida

28 de August de 2016
Foto de um globo, parado na Austrália e no fundo, fora de foca, é possível ver um ônibus

Há exatos 654 dias nós voltamos a São Paulo, com o gosto amargo de quem se sentiu derrotado. Derrotado por não ter atingido seu objetivo que há tempos se bradava aos quatro ventos, ao mundo.

Foi uma derrota para um oponente cruel e impiedoso, o fracasso.

O primeiro plano era retomar a viagem já em 2015, o quanto antes melhor, para já levantar a moral e correr atrás. Pouco mais de um mês depois do nosso retorno a Cau já estava empregada e eu fazendo freelas. Estes trabalhos foram acumulando e logo me vi em sociedade e a data postergou uma vez, partiríamos após o fim das Olimpíadas Rio 2016. E essa data custou a chegar.

Como na música Stay Alive – José González (A Vida Secreta de Walter Mitty).

There’s a rhythm in rush these days
Where the lights don’t move
And the colors don’t fade
Leaves you empty with nothing but dreams
In a world gone shallow
In a world gone lean
Há um ritmo de pressa nos dias de hoje
Onde as luzes não se movem
E as cores não desaparecem
Te deixa vazio, com nada além de sonhos
Em um mundo que se tornou superficial
Em um mundo que se tornou pobre

Nós precisávamos trabalhar, mas nossa alma só queria viajar.

Corta para hoje icon-smile-o

Domingo, 28 de Agosto de 2016, mais uma data memorável para nós. Conseguimos deixar todos nossos pertences guardados, doamos muita coisa e jogamos fora outras tantas, realmente parece que dessa vez vai. Estamos mais confiantes e preparados, mais maduros. Todas as vezes que partíamos era um até logo, agora isso também está diferente.

Para finalizar o post vou deixar mais uma referência do filme A Vida Secreta de Walter Mitty. Antes que alguém pergunte o que tenho com esse filme, quero contar uma “pequena” – nunca consigo resumir em poucas palavras – história, que me deixou acreditando e fã dessas coisas inexplicáveis.

Bateria pega fogo

Em algum momento de 2013, a bateria do nosso carro pegou fogo, conosco dentro. Eu tinha tenho pavor de fogo e logo saltei do carro, antes de voltar para pegar o extintor, que a Cau calmamente retirou do suporte, e encher o carro daquele pó branco. Enquanto arrumávamos o carro, passou um homem e nos aconselhou a ir a Punta Arenas (Chile), ao invés do nosso destino (Ushuaia/Argentina). Não dei ouvidos e ainda convenci a Cau que iríamos a Ushuaia no mesmo dia. Pois não é que um tempo depois o cara voltou, parou o carro, conversou bastante e nos convenceu a ir para Punta Arenas para comprar outra bateria.

Resolvemos ouví-lo e naquela noite, já em Punta Arenas, assistimos o filme Os Agentes do Destino, o filme não é nada de mais, mas os agentes do destino usavam um chapéu. E não é que o cara que nos convenceu a ir para Punta Arenas usava um boné? Para quem ler pode parecer nada de mais, mas o significado para nós na época foi grande. Veja mais sobre esse dia aqui.

Enfim, Os Agentes do Destino veio a calhar na época, foi importante para nós e na madrugada de sexta eu zappeando caiu no A Vida Secreta de Walter Mitty começando e sinto ter tido a mesma importância.

To see the world, things dangerous to come to, to see behind walls, draw closer, to find each other, and to feel. That is the purpose of life.
James Thurber

Para quem quer começar lendo o conto que deu origem ao filme, é de 1939 publicado no The New Yorker, pode ser lido (em inglês) aqui.

Agradecemos a todos que fizeram dessa jornada até aqui fantástica e esperamos que sigam conosco, pois acreditamos que será incrível.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply