Dia a dia

Huaraz, Cordilheiras e trekking

22 de September de 2016

Estávamos em Lima quando descobrimos que um amigo nosso, o fotógrafo Edson Vandeira, iria para Huaraz na mesma época que nós e ele estava planejando alguns trekkings por lá. Nós ficamos imediatamente empolgados e logo alinhamos as datas com ele. Bom, tivemos que cancelar nossa ida para o litoral do Peru, em Paracas, mas foi por uma boa causa. 🙂

Ele chegou em Huaraz alguns dias antes de nós, mas já tínhamos combinado que faríamos no dia seguinte da nossa chegada o Trekking Santa Cruz, de 4 dias e 3 noites. E depois deste, teríamos 2 dias de descanso na cidade e logo encararíamos a Trekking Huayhuash, 10 dias e 9 noites. Ansiosos.

No nosso primeiro dia em Huaraz, depois do almoço com o Vandeira subimos até um mirador, próximo a cidade. Foi uma forma de começar a aclimatação – algo essencial quando vai encarar altitudes que não estamos acostumados – para o dia seguinte. E aos poucos o corpo vai se acostumando com a altura, as dores de cabeça vão sumindo. Voltamos ao hotel que ficamos hospedados, Hotel Casa Blanca, e conhecemos a Sandra, uma mochileira de Israel. Seremos nós 4 no Santa Cruz. Ah, viria mais uma pessoa de outro hotel, um inglês, o Sam.

Trekking Santa Cruz – Llanganuco

Realizamos esse trekking com a empresa Scheler Trekking Expediciones, pagamos o valor de 350 Soles por pessoa, incluso alimentação, cozinheiro e as mulas para transporte.

Nosso encontro estava marcado para às 6h na recepção do Hotel (onde também funciona a agência de turismo), mas nosso despertador não tocou e por costume abri os olhos e já olhei no meu relógio. Dei um salto da cama e acordei o Marcos. Não estávamos atrasados, mas só tivemos 15 min para arrumar tudo e estar na recepção.

Nossas coisas já estavam bem adiantadas, então era só finalizar e tomar o café da manhã. Descemos e deixamos nossas coisas separadas, o que ia na mula do que iria conosco. Levamos nossas coisas em saco estaque e nossas mochilas de ataque, eu com a minha de 30l e o Marcos com a dele, de 25l.

Passava um pouco das 6h quando saímos e fomos em direção ao ponto de partida da trilha, mais ou menos 2h em carro, mas antes paramos em uma cidade, Carhuaz. O cozinheiro, que também seria nosso guia, precisava comprar alguma coisa que faltou. E nós aproveitamos para descer, andar e também comprar umas coisas.

Em 30 min fizemos muita coisa, na cidade havia uma grande feira de rua. Conseguimos trocar dólar, costurar a minha bota e a do Vandeira, comprar um gorro e tomar um suco de laranja natural. De volta ao carro, agora seriam mais uns 40 min até começarmos a caminhada.

Eram 10h da manhã quando chegamos na base da caminhada, hoje seriam mais ou menos 7h andando até o nosso primeiro acampamento, o Llamacorral (3.760m). O Marcos e o Vandeira foram conversando bastante e tendo várias dicas de fotografia. Quando paramos para almoçar, um pequeno snack que recemos no início do dia, já havíamos caminhado por 2h. Ainda tinha bastante chão pela frente.

Laguna a caminho do Camping

Laguna a caminho do Camping

O caminho até o camping foi com um pouco de subida, mas nada muito pesado. O dia estava bem bonito, com sol e nuvens, sem falar do visual das montanhas e lagoas que cruzamos. Um belo jeito de passar o dia.

Antes das 17h já estávamos no camping, o arriero, que vai na frente com as mulas, já havia montado nossas barracas e tendas onde comeríamos. Eu e a Sandra fizemos um chá, os meninos ficaram tirando fotos e o Sam descansando com a Fox, uma cachorra que nos acompanhou na trilha.

Camping Llamacorral

Camping Llamacorral

Se tem uma coisa que não passamos aqui foi fome, o Aquilles, nosso cozinheiro, mandava muito bem no fogareiro! Nossa. Comemos bem no café da manhã e jantar. O almoço era apenas um snack, com bolacha, pão e frutas.

O nosso segundo dia começou cedo e às 7h já estávamos prontos e tomando café da manhã, todos animados com o que veríamos. Durante o dia pegamos muito vento, Aquilles até comentou da previsão de chuva, mas conseguimos chegar bem e secos no acampamento Taullipampa.

O caminho deste dia foi lindo, e depois do almoço decidimos ir conhecer a Laguna Grande. A vista é linda, na base de uma grande geleira se formou uma laguna de água azul, um azul impressionante. Ficamos ali, curtindo a paisagem por mais ou menos 1h.

Laguna Arhuaycocha

Laguna Arhuaycocha

Essa foi nossa primeira experiência com uma expedição. Nunca havíamos feito uma trilha longa assim, com mulas, cozinheiro e toda uma estrutura montada para atender nossas necessidades. Até banheiro tínhamos – uma tenda com um buraco na terra, um luxo. Ah, tivemos Choquequirao, mas era só eu, o Marcos e o arriero com as mulas, não tinha quem cozinhasse para nós…. então não conta.

No jantar do segundo dia tivemos sopa de legumes de entrada, lomo saltado de prato principal. Aqui no Peru é muito comum ter sopa de entrada, dá uma lida aqui que tem mais pratos deste incrível país para conhecer. A sobremesa, sim, também sempre tivemos sobremesa, foi um tipo de gelatina. Essa última não estava tão boa, mas os outros pratos compensaram.

O terceiro dia começou com o café da manhã às 6h30. Começamos a caminhar mais cedo, pois nesse dia cruzamos o Passo Punta Union (4.750m) e caminhamos por 12km. A vista desse dia é incrível, pudemos ver a Cordilheira Branca e cruzar o passo não foi muito difícil, foi preciso caminhar de vagar e ir sempre no mesmo ritmo, mas conseguimos. Chegamos no acampamento era por volta das 17h, estávamos bem cansados.

Trilha de Santa Cruz

Trilha de Santa Cruz

Tomamos um café da tarde e entramos na barraca para descansar um pouco e tomar o famoso banho de gato. Durante o trekking não tem chuveiro, então foi preciso improvisar para conseguir dormir limpinha. rsrs

Depois do jantar conversamos um pouco, demos risada e logo cada um foi para seu barraca. No último dia levantamos cedo novamente e caminhamos menos, por mais ou menos 4h. Foi o dia mais tranquilo de todos. Praticamente tudo plano. O dia estava lindo, um belo dia para caminhar e ver montanhas.

 Vandeira, Aquilles (cozinheiro), Sam, Sandra, Cau e Marcos

Vandeira, Aquilles (cozinheiro), Sam, Sandra, Cau e Marcos

Logo encontramos a nossa van e regressamos para Huaraz. Agora é lavar a roupa, descansar e se preparar para encarar os 10 dias de Huayhuash.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply